segunda-feira, 13 de julho de 2009

De espelho-de-mão sobre o joelho...

Fosse a dor das articulações e paralisia motora que me impedissem de me movimentar. Fosse a ardência dos meus olhos cansados de tédio e de escuridão envolvente...tão envolvente...! Fossem os meus pés sempre gelados e descalços. Fossem as minhas infinitas noites em negro, e a minha pele pálida, amarelada, moída. Fosse a minha queda de cabelo vagabundo. Fossem minhas repetições em ciclos enfadonhos, já nem questionados, sob a maior questão, qualquer coisa como "eu". Não sei para onde vou. Não vou. Perdi os remos e não estou a caminho. Não há velas..., não há ondas. Mas eu sei da praia... Qual? Aquela...!

Oh, "eu" não, "eu" não sou este barco, "eu" sou este mar! Não! Não gosto deste meu medo e acomodação a um verdadeiro nada que insisto em possuir, que insisto em querer, proteger com o meu calor, e fugir e estar com ele..., como se mais e o muito, pouco mais que vejo em linhas curvas emaranhadas ao meu redor já nem pudessem ser mais que isso mesmo. Mas o que gosto tornou-se insípido, e o meu sorriso aberto já não sente aquela doce ilusão...Sim, aquela que um dia me soube doce na boca. Aquela...

"Eu" e isto, fizemos com que a minha ingenuidade adoecesse e se escondesse fraca por entre as escamas das minhas falhas inertes. Seu trono feito de legos, fosse agora ocupado pela ignorância, que se senta de forma pomposa e pertinaz, lançando-me um ténue olhar carregado de ironia.

- Não me olhes assim! - dirijo-lhe - Conheço-te, caminho ao teu lado, mas deixa-me, deixa-me procurar-te!

Não consigo andar, não consigo querer, e este verbo na negação, repete-se como a batida repetitiva e intimista de uma qualquer música viciante, como o tinir metálico, aquele..., aquele que vibra no meu bloqueio, na minha ousadia.

Desilude-me, agonia-me, exaure-me..., saber que me encontro sempre em cantos viciados, sujos e recheados de arestas que cortam lentamente a carne, a quem, como eu, involuntariamente ou não os procura. Mas que, como o sumo amargo de uma erva daninha me saciam, e provo com aquela estranha vontade..., como quem prova a maçã de Adão e Eva, sentada no parapeito da janela do seu quarto à luz da vela..., aquela...

Não há nada, não haverá nada..., e a minha controversa e tenaz casca solidifica como um rocha..., tenacidade da força de um sopro...tão disconecto, imprevisível ou até minguado. É tão acidental a sua vulnerabilidade a um pontapé carregado de um misto de adrenalina e veneno, como esta sedimentar naquele meu chão, tão meu, tão mundano quanto isolado..., aquele...

Não és o que és...és o que não fazes. Não és.

Fosse a falta, uma incapacidade separatriz...

Fosse um punho firme pelos pré-objectivos, prescindível...

Este, este paradoxo que existe em cada defesa, em cada falta, em cada linha descontinua..., em cada ante-fim, na minha escrita, na ausência das palavras que não escrevi... que não disse.

Fosse este..., fosse...

Não quero a palavra certa, quero o demais na ausência dela.

Solto hoje curtos uivos descompassados, em detrimento da profundidade da sua garganta!


(Retirada da net - Deviantart)

E a ver apenas metade do meu leve sorriso no pequeno e esgotado espelho, murmurei: "Cada uma destas ilhas espera-me... Amanhã penso nisso..."

6 comentários:

Anónimo disse...

Reflexos de.. ou reflexões sobre...??
Aquilo que o espelho nos mostra será real? ou apenas o que tomamos como o sendo?

Imagens do eu, do tu e do nós presas dentro de um espelho-de-mão ... até ao dia em que o vidro se quebrará...

Anónimo disse...

Muito boa a forma...,muito boa a sugestão,prometedor o espelho!
Bela porta de entrada.E eu sei que é só um começo tsshhh ;)

Gingerbread Girl disse...

Escreves extremamente bem!! :o
Estou muito positivamente agradada! :o

:o


*

PatyL disse...

escreves tão bem miúda... (e não me venhas dizer que é mentira!)

já há uns tempos que se impunha um comentário meu neste blog, mas sabes como é... "amanha penso nisso" ;)

bjnhs, PatyL

PatyL disse...

ah já me esquecia,

Esta imagem... não, definitivamente não parece isso que dizes! -.-' És sempre a mesma coisa... LOL

PatyL

WillCanora disse...

Ginger, obrigada! Gosto em ter-te por aqui!A porta esta aberta :)

Bjinho

PatyL.,é óptimo saber-te desperta por este pequeno/médio/grande mundo lol :)!
Amanhã ou depois, espero por ti :D

Quanto à imagem, ora portantoSSS, existem taaantas perspectivas ... e vai daí... |-)

eheh Bjinho