sábado, 24 de julho de 2010

Entre a areia e as ondas


Mas tu estás sempre a rir? - Perguntou-me.
Respondo-te agora, assim mesmo.

Estou.

Rio a todas as oportunidades, porque ironicamente ou não (e a ironia é deliciosa e matreira), raramente faço par numa dança.

Na dança há sempre alguém que comanda ou brilha mais.
Costumo dizer que;
Danço contigo. Com vocês. Agora.
E ambos somos a mesma sombra ao pôr do Sol. O dobro de nós.
E todos sentimos a brisa por entre o cabelo, no mesmo sentido.
Paralelamente.
Rio, porque sou paralela, e a perpendicularidade não me vinga nem a atinjo.
Rio sim.

A mais uma oportunidade que larguei sem agarrar.
Rio-me. Sempre.

5 comentários:

daniela gomes disse...

até escreveste sobre isso. loool

blackbird disse...

Agradam-me metáforas. :)

Frida* disse...

É incrível como consegues engrandecer, com a escrita, as coisas aparentemente pequenas.

;)*

Samuel Vidinha disse...

Já dizia o outro:

"Rio logo existo"

Ou como diria o senhor Pinto da Costa:

"Rio logo Douro"

Ou ainda então como diria uma loira que não entende as piadas:

"Rio logo"

blackbird disse...

Frida*

Agora é a minha vez de dizer... que no leque dos elogios, dizerem-nos capazes de enaltecer os pormenores, está sem dúvida na dobra dos melhores.

Obrigada!*

Samu,

ou como diria a Lili Caneças:

Rio, logo não choro.

:D

* ;)